TIGed

Switch headers Switch to TIGweb.org

Are you an TIG Member?
Click here to switch to TIGweb.org

HomeHomeExpress YourselfPanorama20 anos do isolamento do vírus HIV no Brasil
Panorama
a TakingITGlobal online publication
Search



(Advanced Search)

Panorama Home
Issue Archive
Current Issue
Next Issue
Featured Writer
TIG Magazine
Writings
Opinion
Interview
Short Story
Poetry
Experiences
My Content
Edit
Submit
Guidelines
20 anos do isolamento do vírus HIV no Brasil Printable Version PRINTABLE VERSION
by Efraim Neto, Brazil Feb 16, 2008
Human Rights , Health   Interviews
 1 2 3   Next page »

  

20 anos do isolamento do vírus HIV no Brasil Bernardo Galvão: “Foi um marco simbólico na pesquisa no país”

A década de 80 ainda não tinha terminado. Em meio à euforia que tomava conta do país, da efervescência em função do final de um longo período de ditadura militar, a Aids aparecia como um desafio para todos. Políticos, cientistas e boa parte da sociedade ainda não sabiam muito bem como lidar com a doença, até então caracterizada como particular de grupos considerados de “comportamento de risco”. Uma equipe de pesquisadores do Instituto Oswaldo cruz (IOC) do Rio de Janeiro, percebeu a dimensão do problema e aceitou o desafio de isolar o vírus HIV no país, colocando o Brasil definitivamente no circuito mundial de pesquisa em Aids. Liderando o grupo estava o pesquisador Bernardo Galvão, que conta, nesta entrevista, como foi aquele episódio, que completou 20 anos. Atualmente na Fundação Oswaldo Cruz na Bahia (Fiocruz-BA), Galvão também esteve à frente do processo de construção de uma rede de laboratórios responsáveis pela caracterização do HIV em diversas regiões do país. Para ele, na memória fica o exemplo de como uma instituição, como a Fiocruz, pôde, por estar preparada, responder a uma demanda de saúde.

CPqGm – Passados 20 anos, como avalia o fato da equipe de pesquisadores, liderada pelo senhor, ser a primeira a isolar vírus HIV no Brasil?
Bernardo Galvão – Bem, eu acho que representou o envolvimento da Fundação Oswaldo Cruz na luta de combate e controle da epidemia causada pelo HIV/AIDS. Eu acho que a coisa mais importante que ocorreu naquele momento foi a implantação, nos bancos de sangue, da triagem sorológica do HIV. A Fiocruz pode proporcionar, pelo menos, dessa implantação nos bancos de sangue. Isso sim corresponde a uma importante contribuição para a saúde pública, para a saúde de uma forma geral. Naquele momento foi possível dar essa reposta porque se instalou imediatamente a triagem sorológica nos bancos de sangue, evitando a contaminação, o que seria, caso não fosse evitado, uma catástrofe.

CPqGm - Aquele momento teve impacto efetivo na realidade social em relação a AIDS. Mas o que significou o isolamento do vírus para a ciência?
BG - O isolamento do vírus não foi uma realização científica importante. Para isolar aquele vírus, qualquer laboratório de imunologia que contasse com técnica de isolamento de linfócitos, poderia fazer, mesmo no Brasil. Aquilo foi um marco simbólico na pesquisa no Brasil. Por que faltavam alguns insumos, não para cultivar o vírus, mas para identificá-lo. E aí nós conseguimos esses insumos através de cooperação internacional, ou pesquisadores da própria fundação que trouxeram esses insumos.

CPqGm - Isso significa que a cooperação internacional foi decisiva?
BG - Logo depois do isolamento em 1983, pelo grupo pesquisadores do Instituto Pasteur, em Paris, confirmado por Gallo, em 1984. Em 1984-85, os países do primeiro mundo, todos já estavam com o vírus isolado, mas nós preferíamos, tínhamos inclusive propostas de colaboração, mas que naquela época nos denominávamos de “pesquisa safari”, ou seja, nossa participação seria colher o sangue e enviar para o exterior e depois ter os resultados. Seria ótimo para os nossos currículos, do ponto de vista pessoal, mas nos preferimos demonstrar que éramos capazes de isolar o vírus sem recorrer a esse tipo de colaboração. Afinal, a colaboração é importante quando trás benefícios mútuos. A gente era capaz de isolar o HIV , faltava apenas o insumo. Preferimos criar essa condição.

CPqGm - Que contexto era esse, que dificultava a aquisição dos insumos?
BG - A gente não tinha antígenos. . Foi graças a essas colaborações internacionais que conseguimos os mesmos. Destaque para os virologistas Peggy e Hélio Pereira, ambos de nacionalidade inglesa sendo que ele era brasileiro de nascimento.

CPqGm – Então, eram ações individuais, sem interferência (apoio) do Estado e do governo?
BG - Algumas passaram pelo Estado porque os pesquisadores representavam o Estado. Na verdade existem vários programas de governo, mas o programa nacional de AIDS foi implantado devido a ação da sociedade civil organizada que pressionou o governo, visto que o que existia no exterior repercutia no país. A AIDS, no início, atingia pessoas de classe média – alta, por exemplo, nos EUA e Europa. Mas na África, descobriu-se depois que era uma transmissão heterossexual. Nos países do Ocidente, a AIDS tinha um perfil que atingia, principalmente, indivíduos com determinados comportamentos de risco, como os homo/bissexuais masculinos,, os usuários de drogas injetáveis e indivíduos que eram forçados a tomar sangue, como os hemofílicos. Naquele momento, por exemplo, os homossexuais nos EUA eram uma minoria organizada. Além disso, a AIDS atingia pessoas de grande prestígio no mundo artístico, intelectuais e formadores de opinião.

CPqGm – Houve, de certa forma, uma parceria forte entre a comunidade científica e a sociedade civil organizada?





 1 2 3   Next page »   


Tags

You must be logged in to add tags.

Writer Profile
Efraim Neto


This user has not written anything in his panorama profile yet.
Comments


HIV HEALING
Doris Carter | Sep 14th, 2018
Healing from HIV-AIDS, i never though dr.camala who could ever get my HIV-AIDS cured with his healing spell, i have tried almost everything but i couldn't find any solution on my disease, despite all these happening to me, i always spend alot to buy a HIV drugs from hospital and taking some several medications but no relieve, until one day i was just browsing on the internet when i come across a great post of !Michelle! who truly said that she was been diagnose with HIV and was healed that very week through the help of these great powerful healing spell doctor, sometime i really wonder why people called him Papa camala, i never knew it was all because of the great and perfect work that he has been doing that is causing all this. so i quickly contacted him, and he ask me some few questions and he said a thing i will never forget that anyone who contacted him is ! always getting his or her healing in just 6 hours after doing all he ask you, so i was amazed all the time i heard that from him, so i did all things only to see that at the very day which he said i will be healed, all the strength that has left me before rush back and i becomes very strong and healthy, this disease almost kills my life all because of me, so i will to hospital to give the final test to the disease and the doctor said i am HIV negative, i am very amazed and happy about the healing dr.camala gave to me from the ancient part of Africa, you can email him now for your own healing too at: dr.camalahivadscure@yahoo.com or WhatsApp him +2349055637784 thank you sir for healing me from HIV, i am Doris Carter.

You must be a TakingITGlobal member to post a comment. Sign up for free or login.